Eco no Cânion do Colorado

Eco-no-Cânion-do-Colorado

Versão em Texto:

HISTÓRINHA

Eco no Cânion do Colorado

No Cânion do Colorado, um pai passeava com seu filho de sete anos. A manhã estava quente e o sol resplandecia num céu aberto. De repente, o pequeno cai, machuca o joelho e grita: “aaaaaaaaaii!”.
Para sua surpresa, ouve uma voz oculta que também se queixa: “aaaaaaaaaii!”.
Curioso, o menino grita: “Quem está aí?”.
Das profundezas do Cânion, uma voz lhe faz a mesma pergunta: “Quem está aí?”.
Irritado com a resposta anônima, o menino grita: “Covarde, por que se esconde?”.
Do outro lado, alguém lhe responde agressivamente: “Covarde, por que se esconde?, porque se esconde?”.
O menino olha seu pai e lhe pergunta: “Que acontece?”.
O pai sorri e lhe diz: “Meu filho, preste atenção”. Então, ele grita para a montanha: “Te admiro”.
Do fundo do Cânion, alguém lhe confessa várias vezes: “Te admiro, te admiro, te admiro”.
Mais uma vez, o homem exclama: “És um campeão”.
A voz lhe responde: “És um campeão, campeão, campeão”.
O pai sussurra em voz baixa: “Te amo”.
A voz lhe responde com suavidade: “Te amo, te amo, te amo”.
O pequeno fica espantado, porém não entende.
O pai lhe explica olhando em seus olhos: “Nós chamamos isso de eco, filho, porém, na realidade, é a vida”.
E acrescenta em voz alta: “Ela te devolve o que lhe diz ou faz…”.
“Ela te devolve o que lhe diz ou faz, o que lhe diz ou faz, diz ou faz”, repete aquela voz do fundo do Cânion.

História tirada do Livro “Como Evangelizar com parábolas” de José H. Prado Flores e Ângela M. Chineze – Editora Canção Nova, 2008 – 6ª edição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *