Empurrar a pedra

empurrar-a-pedra

Versão em Texto:

HISTÓRINHA

Empurrar a pedra

Eugênio, camponês da montanha, vivia deprimido porque suas colheitas não satisfaziam as necessidades de sua família, nem enchiam os sonhos de seu coração.
Em uma noite, enquanto dormia, seu quarto se iluminou. O Senhor Deus o chamou por seu nome duas vezes e lhe disse que tinha uma tarefa para ele. Mostrou-lhe uma grande pedra em frente à sua cabana. Explicou-lhe que devia empurrar a pedra com todas as suas forças.
Eugênio obedeceu à ordem do Senhor. Dia após dia, semana após semana e por muitos anos, desde o nascer do sol até o fim do dia, empurrava a fria pedra, porém esta não se movia.
Cada noite regressava à sua cabana muito cansado e frustrado. Satanás entrou então em cena, tentando convencê-lo de que seu trabalho era em vão e não tinha sentido:
– Tens estado empurrando essa rocha por muito tempo, e não se moveu nada. É um inútil. Um fracassado.
Estes pensamentos aumentaram sua decepção. Satanás com um sorriso irônico, acrescentou:
– Nem insista nem se esforce. Não tem nada mais deprimente que não ter resultados do que se faz. Por que então você se esforça o dia todo nesta inútil tarefa?
Eugênio escutava exatamente o que muitas vezes havia pensado, porém antes de renunciar sua tarefa, decidiu reclamar a Deus:
Quero renunciar esta tarefa que não dá resultados. É um absurdo e até deprimente estar tentando uma missão impossível. Por mais esforço que faço, não consegui mover a pedra nem um milímetro.
O Senhor lhe respondeu com compaixão:
– Querido Eugênio, eu disse que tua tarefa era empurrar a pedra com todas as tuas forças, e o tens feito com perseverança. Eu não esperava que a movesse. Tua tarefa era empurrar, só empurrar. Não tens fracassado. Olha agora teus braços, estão musculosos; tuas costas estão fortes; tuas mãos robustas pela constante pressão, tuas pernas estão firmes. Apesar das adversidades, aumentaram as tuas possibilidades para encarar outros desafios. Este exercício era só o campo de treinamento para que pudesse enfrentar com persistência outros desafios. Meu plano não era que movesse a pedra, mas que se transformasse e fortalecesse e não se desapontasse quando não visse os resultados que esperava.

História tirada do Livro “Como Evangelizar com parábolas” de José H. Prado Flores e Ângela M. Chineze – Editora Canção Nova, 2008 – 6ª edição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *